terça-feira, 10 de novembro de 2009

A EXPANÇÃO DO REINO DAVÍDICO



IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLÉIA DE DEUS EM ENGENHOCA – NITERÓI – RJ
ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL
LIÇÃO 07 – DIA 15/11/2009
TÍTULO: “A EXPANSÃO DO REINO DAVÍDICO”
TEXTO ÁUREO – II Sm 5:10
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: II Sm 5:6-10
PASTOR GERALDO CARNEIRO FILHO
e.mail: geluew@yahoo.com.br






I – INTRODUÇÃO:
• – Jerusalém aparece na Bíblia e na História como a cidade escolhida pelo Senhor para ser a revelação do único e verdadeiro Deus, o centro do Seu culto, de Suas leis e Sua revelação pessoal, com a missão de proclamá-Lo a todo o mundo.
• – Leiamos Ex 25:8; Ez 37:26-28.
• – Desta forma…
• (1) – Israel é o centro do mundo;
• (2) – Jerusalém é o centro de Israel;
• (3) – o Templo é o centro de Jerusalém;
• (4) – o Santo dos Santos é o centro do Templo;
• (5) – A Arca da Aliança (aspergida com o sangue do Cordeiro), é o centro do Santuário;
• (6) – o Santuário é o Cordeiro de Deus! (Apc 21:22)
• – Isto porque, simbolicamente falando, o Santuário representa a presença de Deus no meio (centro) de Seu povo:
• (1) – Mt 18:20 (”… aí estou eu NO MEIO deles”);
• (2) – Lc 24:36 (”… Jesus se apresentou NO MEIO…”);
• (3) – Jo 20:19, 26 (”… chegou Jesus e pôs-se NO MEIO…” e “… apresentou-se NO MEIO…”);
• (4) – Apc 1:13 (”… NO MEIO dos candeeiros…”);
• (5) – Apc 2:1 (”… anda NO MEIO dos sete candeeiros…”).
II – A JERUSALÉM TERRESTRE:
• – A vontade e o conselho de Deus nunca são mudados! Por isso, sob todos os aspectos, Jerusalém era, é e será o centro deste mundo. Até mesmo geograficamente o Senhor localizou Jerusalém em posição central. Veja no mapa abaixo:
“ASSIM DIZ O SENHOR JEOVÁ: ESTA É JERUSALÉM; PU-LA NO MEIO DAS NAÇÕES E TERRAS QUE ESTÃO AO REDOR DELA” – (Ez 5:5)
• – Ela é a mesma cidade conhecida por muitos nomes, tais como:
• (1) – Salém, onde reinava Melquisedeque (Gn 14:18 cf Sl 76:2);
• (2) – Sião, uma das colinas onde está edificada Jerusalém (I Rs 8:1; Sl 87:2; Zc 9:13);
• (3) – Jebus (Js 18:28; Jz 19:10);
• (4) – Ariel ou Lareira de Deus (Is 29:1);
• (5) – Cidade de Justiça (Is 1:26);
• (6) – Cidade de Deus (Sl 46:4; 48:1; 87:3);
• (7) – Cidade do Grande Rei (Sl 48:2; Mt 5:35);
• (8) – Cidade de Davi (II Sm 5:7; Is 22:9);
• (9) – Cidade Santa (Ne 11:1; Is 48:2; 52:1; Jl 3:17; Mt 4:5);
• (10) – Cidade de Judá (II Cr 25:28);
• (11) – Cidade da Verdade (Zc 8:3);
• (12) – Cidade Fiel (Is 1:21, 26);
• (13) – Cidade Inesquecível (Is 62:12);
• (14) – Monte Santo (Dn 9:16);
• (15) – Perfeição da Formosura (Lm 2:15);
• (16) – Trono do Senhor (Jr 3:17);
• (17) – Sião monte santo – e que muitas vezes tem o sentido de toda a Jerusalém – (Sl 9:11; 76:2; Is 8:18);
• (18) – Sião do Santo de Israel (Is 60:14);
• (19) – Cidade das Solenidades (Is 33:20);
• (20) – Oolibá = “Minha Tenda Está Nela” (Ez 23:4)
• – COMO TIPO DE IGREJA, TEM AINDA OS SEGUINTES TÍTULOS:
• (1) – Nova Jerusalém (Apc 21:2);
• (2) – Jerusalém que é lá de cima (Gl 4:26);
• (3) – Cidade que tem fundamentos, da qual o artífice e construtor é Deus (Hb 11:10);
• (4) – Jerusalém celestial e Cidade do Deus Vivo (Hb 12:22)
• – É uma cidade amada por todos os judeus – Sl 122:2
• – Mesmo estando no Cativeiro, em Babilônia, os judeus não esqueciam Jerusalém – Sl 137:5-6.
• – É uma cidade odiada pelos seus inimigos – Salmo 137:7.
• – HAVIA DOZE PORTAS NO MURO DE JERUSALÉM. Vejamos:
• (1) – Porta Superior de Benjamim (Jr 20:2; 37:13);
• (2) – Porta do Peixe (II Cr 33:14; Ne 3:3; 12:39);
• (3) – Porta das Ovelhas (Ne 3:1; 12:39; Jo 5:2);
• (4) – Porta da Guarda ou da Prisão (Ne 3:31; 12:39);
• (5) – Porta de Efraim (II Rs 14:13; Ne 12:39);
• (6) – Porta do Vale (II Cr 26:29; Ne 2:13);
• (7) – Porta das Águas (Ne 3:26; 8:3);
• (8) – Porta dos Cavalos (II Cr 23:13; 3:28);
• (9) – Porta Velha (Ne 3:6; 12:39);
• (10) – Porta da Esquina (II Rs 14:13; II Cr 26:9);
• (11) – Porta do Monturo (Ne 3:13-14; 12:31);
• (12) – Porta da Fonte (Ne 3:15).
• – Não esqueçamos: A JERUSALÉM CELESTE TAMBÉM TEM UM GRANDE E ALTO MURO COM DOZE PORTAS – Apc 21:12.
• – Durante o reinado de Davi, Jerusalém tornou-se o centro de adoração a Deus para toda nação israelita. Isto foi possível devido à sábia decisão daquele rei, que ordenou aos sacerdotes e levitas transportarem a Arca de Deus para Jerusalém, abrigando-a em um Tabernáculo. Desta forma, podemos identificar o legado de Davi para a história bíblica e para a Igreja (I Cr 15:17-27; II Cr 10; 11:1-17).
• – Enfim, totalmente destruída no ano 70 da nossa era, quando capturada pelas forças romanas comandadas pelo general Tito, Jerusalém voltará a ser a cidade central em Israel e no mundo, no reino milenar de Cristo.
III – O CRESCIMENTO E A EXPANSÃO DA IGREJA DE JERUSALÉM:
• – Da cidade onde Jesus terminou o Seu ministério saiu o Evangelho para transformar a terra, mudando o rumo da História do Mundo. Leiamos At 2:42-27; 4:32-35:
• – Há informações históricas de que a população de Jerusalém naquela época era de 200 mil pessoas, DAS QUAIS A METADE CONSTITUÍA-SE DE CRISTÃOS. Como explicar esse avanço?
• – Resposta: A IGREJA DE JERUSALÉM ERA CHEIA DO ESPÍRITO SANTO! Analisemos:
• (1) – HAVIA ESTUDO DA PALAVRA DE DEUS (At 2:42) – Esta Igreja não se orientava pelas “novas revelações”. Era, sim, submissa à doutrina dos apóstolos.
• (2) – HAVIA COMUNHÃO (At 2:42) – A palavra grega é KOINONIA, cujo significado é duplo:
• (A) – Compartilhar nossos recursos materiais e nossas potencialidades inatas, inclusive trocando serviços na comunidade; e
• (B) – Princípio de caridade ao pobre, tendo como base At 2:45 e 11:29, ou seja, DAR NA MEDIDA DA POSSE; NA MEDIDA QUE ALGUÉM TENHA NECESSIDADE. Se pretendemos ser uma Igreja como a de Jerusalém, não podemos estar alheios às necessidades dos irmãos e às do nosso próximo
• (3) – HAVIA ADORAÇÃO (At 2:42) – “…no partir do pão e nas orações” – No culto a Deus deve haver lugar para os hinos, as manifestações de louvor e a liturgia ( = SERVIÇO DIVINO – Significa, primariamente, o serviço que prestamos a Deus. Com a evolução dos séculos, passou a designar a linguagem, os gestos e cânticos usados no culto cristão).
• (4) – HAVIA EVANGELISMO (At 2:47) – A evangelização da Igreja de Jerusalém tinha cinco dimensões:
• (A) – A DIMENSÃO DA SOBERANIA DE DEUS – “…acrescentava-lhes o Senhor”
• (B) – A DIMENSÃO DA COERÊNCIA E AUTORIDADE – Eles aglutinavam serviço social e evangelismo. Era uma Igreja que evangelizava todo o homem e cuidava do “homem todo”.
• (C) – A DIMENSÃO DA NATURALIDADE – “… dia a dia” eles evangelizavam. Não precisavam de grandes eventos ou apresentações especiais; estavam sempre disponíveis e a Igreja crescia naturalmente aonde iam.
• (D) – A DIMENSÃO DO LOUVOR – “… louvando a Deus” – Esta deve ser a maneira do cristão viver. O mundo não se deixará convencer pela razoabilidade da nossa doutrina, mas por um estilo de vida.
• (E) – A DIMENSÃO DA SIMPATIA – Às vezes, pensamos que se orarmos, jejuarmos, formos sinceros e piedosos, teremos sucesso automaticamente quando evangelizarmos. Mas precisamos ter a estratégia, também. A Igreja de Jerusalém usava o método certo: A SIMPATIA.
• (5) – O CRESCIMENTO SE DEU PELA MULTIPLICAÇÃO (At 6:7) – Na obra do crescimento, não podem existir as operações de diminuir ou dividir.
• (6) – O CRESCIMENTO SE DEU PELA EVANGELIZAÇÃO DOS LARES (At 5:42) – Aqui está o ponto de maior importância relacionado com a expansão da Igreja. As casas são locais ideais para o trabalho de evangelização objetivando o crescimento da Igreja.
• (7) – O CRESCIMENTO SE DEU PELA IMPLANTAÇÃO DE NOVAS IGREJAS (At 9:31) – Mais uma vez vemos o verbo “MULTIPLICAR” que vem ressaltar a descentralização do trabalho. Onde quer que os novos crentes chegassem, uma nova Igreja era implantada.
• – Em suma: A evangelização, no poder do Espírito Santo, propiciou o crescimento e a expansão da Igreja em proporções geométricas. Analisemos:
• (1) – (At 1:13 – doze apóstolos);
• (2) – (At 1:15 – quase 120 pessoas);
• (3) – (At 2:41 – quase 3000 pessoas);
• (4) – (At 2:47 – Todos os dias almas eram salvas);
• (5) – (At 4:4 – quase 5000 almas);
• (6) – (At 5:14 – multidão crescia cada vez mais);
• (7) – (At 5:28 – Jerusalém foi evangelizada);
• (8) – (At 6:1 – crescia o número de discípulos);
• (9) – (At 6:7 – multiplicava-se o número de discípulos);
• (10) – (At 8:4 – os que fugiram de Jerusalém, pregaram em toda Samaria);
• (11) – (At 9:31 – Igrejas se multiplicavam em toda Judéia, Galiléia e Samaria);
• (12) – (At 9:35 – Todos os habitantes de Lida e Sarona se converteram ao Senhor);
• (13) – (At 9:42 – Por toda Jope muitos creram no Senhor);
• (14) – (At 11:19 – Evangelização dos judeus na Fenícia, Chipre e Antioquia);
• (15) – (At 11:20-21 – Grande número de salvos em Antioquia);
• (16) – (At 11:24 – Muita gente salva em Antioquia);
• (17) – (At 12:24 – A palavra de Deus crescia e se multiplicava);
• (18) – (At 14:1 – Uma grande multidão foi salva em Icônio);
• (19) – (At 16:5 – As Igrejas cresciam em número);
• (20) – (At 17:4 – Grande multidão creu em Tessalônica);
• (21) – (At 17:12 – Muitos salvos em Beréia);
• (22) – (At 18:10 – Muita gente salva em Corinto);
• (23) – (At 19:10 – Todos os habitantes da Ásia ouviram a Palavra);
• (24) – (At 21:20 – Milhares de judeus creram)
IV- CONSIDERAÇÕES FINAIS:
• (1) – Os três relacionamentos de uma Igreja cheia do Espírito Santo são: COM DEUS, COM O PRÓXIMO e COM O MUNDO.
• (2) – A Igreja cheia do Espírito Santo ESTUDA A PALAVRA, ADORA A DEUS, EVANGELIZA e PRATICA O FRUTO DO ESPÍRITO.
• (3) – Assim, se uma Igreja deseja realizar a obra do crescimento e expansão de modo dinâmico e efetivo, TERÁ DE CONTAR PRIMORDIALMENTE COM O ESPÍRITO SANTO E A METODOLOGIA CERTA PARA CANALIZAR SUAS AÇÕES EVANGELÍSTICAS.
FONTES DE CONSULTA:
1) A Bíblia Vida Nova – Edições Vida Nova
2) Esboço de A a Z – Editora Vinde – Autor : Caio Fábio
3) Lições Bíblicas – Edições CPAD – 1º Trimestre de 1993 – Comentarista: Geremias do Couto
4) Lições Bíblicas – Edições CPAD – 2º Trimestre de 1992 – Comentarista: Geziel Nunes Gomes
5) Apostila do Pr. Isaías Gomes de Oliveira “CRESCENDO NA GRAÇA E NO CONHECIMENTO”
6) Dicionário Teológico – Edições CPAD – Autor: Claudionor Corrêa de Andrade
7) Não é possível contornar Jerusalém – Chamada da Meia-noite – Wim Malgo
8) Site na Internet – Colaboração para o Portal EscolaDominical: Prof. Antonio Sebastião da Silva
9) Sombras, Tipo e Mistério da Bíblia – CPAD – Joel Leitão de Melo

0 comentários:

Postar um comentário

Quem sou eu

Minha foto
Pregador do Evangelho Pela Graça do Senhor.

NOS INDIQUE

Uilson no twitter

ACESSOS

 

FAMÍLIA EBD. Copyright 2008 All Rights Reserved Revolution Two Church theme by Brian Gardner Converted into Blogger Template by Bloganol dot com | Distributed by Deluxe Templates